Domingo, 23 de Janeiro de 2022 22:18
4000-2115
Política POLÍTICA

Secretária Municipal de Educação diz que nota das instituições sindicais foi tendenciosa

Confira os argumentos da Secretaria Municipal de Educação

10/01/2022 07h13
Por: Marcela Guimarães
Secretária Municipal de Educação diz que nota das instituições sindicais foi tendenciosa

A secretária Municipal de Educação Ângela Fonseca rebateu as críticas publicadas por instituições sindicais alegando que o município de Goiás não está cumprindo as metas da área.  

 

Segundo as instituições, dados publicados no portal da transparência mostram que em 2021, o município não investiu o mínimo em recursos na área. “Os números disponíveis vão só até o mês de outubro. Temos que fazer a leitura em cima de dados concretos, porque senão fica parecendo que é questão política”, afirmou. 

 

Na nota, as instituições ressaltam que o “Plano Municipal aponta que no sexto ano de sua execução (2021) o investimento na Educação seria de 28% da arrecadação tributária do município”. A secretária por sua vez acredita que esse limite vai ser atingido, porque a própria folha de pagamento dos funcionários seria onerosa, segundo ela. 

 

Atualmente, um professor que inicia a carreira na Cidade de Goiás, com 30 horas/aula recebe R$ 2.597,53. O valor pode ser acrescido de carga horária, formação e tempo de serviço. São profissionais que atuam na Educação Infantil, e na primeira fase do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano). 

 

Outro ponto questionado pelas instituições é a falta de profissionais concursados. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Goiás - Sintego Regional Goiás, hoje há em torno de 50 profissionais comissionados. Há um concurso público em que não foram convocados todos os aprovados.

 

Mesmo se todos tivessem sido convocados, a meta não seria atingida. “Como o número de vagas disponibilizadas pelo último concurso não suprirá as demandas de vagas, além disso, há servidores em processo de aposentadoria”, afirmou o presidente do Sintego Regional, Djalma Oliveira. 

 

A meta 18.1 do Plano orienta esforços para que 90% dos profissionais da educação sejam concursados. “Essa nota foi tendenciosa. É óbvio que tem metas que já atingimos, outras que já concluímos e outras que nem começamos. Este é um planejamento para 10 anos”, finaliza Ângela Fonseca, secretária de Educação da Cidade de Goiás.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.