Quarta, 10 de Agosto de 2022 22:40
4000-2116
Cidades DIGNIDADE MENSTRUAL

Absorventes gratuitos começam a ser distribuídos em um mês

A estimativa é beneficiar 150 mulheres e meninas

14/01/2022 17h21
Por: Marcela Guimarães
Absorventes gratuitos começam a ser distribuídos em um mês

Mulheres vilaboenses vão começar a receber absorventes gratuitos a partir do dia 14 de fevereiro. É o que afirmou as Secretarias de Assistência Social, Trabalho e Habitação e de Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos da Prefeitura de Goiás. A expectativa é beneficiar cerca de 150 pessoas que menstruam.

 

Os produtos serão distribuídos para meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade social, em cumprimento à Lei Municipal da Dignidade Menstrual, de autoria da vereadora Elenízia da Mata (PT), aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Aderson Gouvea (PT). 

 

Para receber os absorventes, é preciso ir pessoalmente fazer a inscrição das 8h às 17h na Secretaria Municipal de Assistência Social, que fica na Rua Dr. Neto s/nº (Conviver), Centro - Fone: 3371-7719. As interessadas também podem fazer essa inscrição no CRAS (Rua A, Q.17; Lt. 1; Setor Aeroporto - Fone: 3371-7788) e na Secretaria Municipal das Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Rua do Carmo nº 1, esquina com Rua da Abadia, Setor Carmo, Centro - Fone: 3371-2784). 

 

Além da distribuição gratuita para quem está em vulnerabilidade social, a lei também prevê a realização de ações, como palestras de conscientização para quebrar o tabu a respeito do tema e cria o Dia Municipal da Dignidade Menstrual no dia 28 de maio. 

 

Iolanda Aquino, secretária Municipal da Mulher, destaca que ainda vivemos em um país onde muitas adolescentes e mulheres não possuem recursos para comprar um absorvente no período menstrual. “A pobreza menstrual existe e esse Programa fará a diferença na vida de meninas e mulheres vilaboenses que poderão acessar o direito a este recurso de forma digna, fortalecendo uma autonomia social para essas meninas e mulheres”, afirma.

 

Este é um projeto desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação, com o CRAS e a Secretaria das Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

 

Foto: Carlos Costa/CMC

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.