Quarta, 25 de Maio de 2022 01:51
062 4000-2115
Educação ENSINO

Famílias divergem sobre a volta às aulas na Cidade de Goiás

Redes públicas e privada estão retomando o ensino presencial

18/01/2022 20h05
Por: Marcela Guimarães
Famílias divergem sobre a volta às aulas na Cidade de Goiás

Famílias estão prestes a enviar suas crianças de volta às aulas presenciais, as menores de 11 anos ainda não tem previsão de vacinação contra Covid-19. Parte da rede particular e estadual retoma as aulas nas escolas da Cidade de Goiás nesta quarta-feira, dia 19;e os CMEIs e escolas municipais voltam no dia 24. A exceção são para crianças entre 0 e 2 anos, nos CMEIs cuja previsão é de retorno em março.

Uma mãe que preferiu não se identificar entrou em contato com a Ummix Cidade de Goiás relatando que terá prejuízos, pois seu bebê não poderá ir para o CMEI e ela precisa trabalhar. “Terei que gastar um dinheiro que não tenho com escola particular ou babá. Se os bares podem funcionar, porque os CMEI’s não podem”, questiona. 

Porém, a visão de outra mãe é diferente. A pedagoga Rina Moreira decidiu não enviar a filha de oito anos para a escola. Ela estuda em uma escola particular na Cidade de Goiás que, assim como as demais instituições privadas, não deu opção de aulas on-line. Agora, é somente presencial. “Depois dos pais reivindicarem, conseguimos somente um apoio uma vez por semana online. O restante do tempo, ela vai fazer as atividades com a minha ajuda”, conta. 

Segundo ela, a maior inquietação dos pais é que há dois anos, quando os números eram bem menores, as crianças ficaram em casa. “Agora que estamos com mais de 700 contaminados, querem voltar. É como se esses dois anos de proteção fossem inúteis. Muitos pais querem voltar porque se cansaram de ser pai e de ser mãe e preferem enviar o filho para as escolas”, argumenta Rina Moreira.

A Secretária Municipal de Educação, Ângela Fonseca, disse que a decisão de ainda não retomar com os bebês foi pensando nas crianças. “Até dois anos, as crianças precisam de muito contato físico, de banho, alimentação na boca. Por isso, optamos por começar com as maiores e se der tudo certo, em março voltamos a receber as crianças menores”, afirmou. 

Ela também confirma que no município estão enfrentando mesmo as divergências de opinião entre as famílias. “Muitos pais queriam que retornasse remoto e outros que voltassem antes. Mas não podemos continuar com as aulas remotamente porque não temos autorização legal, já que a determinação da Secretaria Estadual de Educação é que voltemos ao presencial. 

A reportagem tentou contato com Márcia Angelina, coordenadora de  Educação do Governo do Estado, para saber dos cuidados gerais nas escolas estaduais em Goiás. Porém, ela disse que estava em viagem em visita a colégios e não pode responder. 

 

Foto: Prefeitura Municipal de Goiás

 

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.