Sábado, 16 de Outubro de 2021 11:23
62 3371-3000
Educação CONSCIENTIZAÇÃO

Flores espalhadas pela cidade durante carreata alertam para o combate ao abuso sexual de menores

Ações como essa na Cidade de Goiás se repetiu em várias cidades do Brasil para acender o debate sobre o problema que, de acordo com Ministério da Saúde, atinge uma criança ou adolescente a cada três horas

18/05/2021 15h28 Atualizada há 5 meses
Por: Rosângela Aguiar
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ummix Cidade de Goiás (@ummixcidadedegoias)

 

Por onde a Carreata de Mobilização de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes passou neste dia 18 de maio foi deixado um rastro de esperança pelo caminho. A carreata saiu da Praça Samambaia, no setor Rio Vermelho, e seguiu pela Rua A, passando em frente a sede do CREAS/CRAS (antiga OEC), Praça do Aeroporto, Praça João Francisco, Rua Damiana da Cunha, Avenida Sebastião Fleury Curado (Beira Rio), Praça Igreja do Rosário, Rua Hugo Ramos, Rua Santa Bárbara (Igreja Santa Bárbara) e encerrando na quadra de esportes da Vila Lions.

A atividade na Cidade de Goiás foi coordenada pela Irmã Eliene Nobre Damascena, presidente do Conselho Municipal de Defesa da Criança e Adolescente (CMDCA) e pela Secretaria da Mulher, Igualdade Racial, Juventude e Direitos Humanos, Iolanda Aquino. O objetivo foi alertar para os cuidados com as crianças e adolescentes vilaboenses, que merecem poder ser apenas crianças e adolescentes, ir à escola, brincar, interagir com amigos e não ser violentadas de diferentes formas, o que acontece, principalmente, dentro da própria família.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi criado no ano 2000, no dia 18 de maio, para lembrar um caso bárbaro que aconteceu em 1973. Naquele ano, Araceli, uma menina de apenas 8 anos foi raptada, estuprada e morta no Espírito Santo. Todos os acusados do crime foram absolvidos pela Justiça e saíram impunes por serem de classe média alta e terem influências políticas.

Casos como o de Araceli não param de acontecer. Segundo informações do Ministério da Saúde e do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violências Sexuais contra Crianças e Adolescentes, em 2020 pelo menos 32 mil crianças e adolescentes sofreram algum tipo de abuso (sexual, físico, psicológico). Isto significa que a cada três horas uma criança ou adolescente sofre algum tipo de abuso. Somente em 2020, foram registradas mais de 95 mil denúncias de violência, sendo 67% contra menores e que aconteceram dentro de casa.

A proposta do dia 18 de maio é justamente chamar a atenção e mobilizar, sensibilizar e informar a sociedade sobre os direitos da criança e do adolescente, bem como incentivar a população a entrar na luta em defesa desses direitos. Em casos de suspeita de abuso, violência ou agressão, é possível fazer a denúncia por meio do Disque 100, em ligação é gratuita e anônima em qualquer horário ou dia da semana. A denúncia também pode ser feito pelo 190 da PM ou 191 da Polícia Rodoviária Federal.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.