Sábado, 16 de Outubro de 2021 12:13
62 3371-3000
Educação AULAS PRESENCIAIS

Comitê de Operações Emergenciais avalia se aulas presenciais retornam em agosto

A Secretaria Municipal de Educação ouviu as famílias dos alunos sobre o assunto e Coordenação Regional de Educação espera retornar com aulas híbridas na cidade a partir do dia 2 de agosto

30/06/2021 19h00
Por: Rosângela Aguiar
Fonte: UOL Educação
Fonte: UOL Educação

 

Apesar do anúncio feito pelo Governo do Estado de que as aulas presenciais retornam em agosto, a Secretaria de Educação da Cidade de Goiás ainda avalia este retorno. “Nossa equipe já recebeu a primeira dose da vacina AstraZeneca e estamos nos preparando para esse retorno”, informa a secretária de Educação da Cidade de Goiás, Ângela Fonseca. Ela explica que a proposta depende de avaliação do Comitê de Operações Emergenciais do Município e da Secretaria Municipal de Saúde. Já a coordenadora Regional de Educação, Márcia Angelina, explica que o retorno dos quase 2 mil alunos da rede estadual dependem de um novo decreto da Prefeitura para o retorno das aulas em sistema híbrido a partir do dia 2 de agosto.

 

“Alguns municípios da regional, como Itaberaí e Sanclerlândia, já estão no sistema híbrido onde 30% dos alunos de cada turma tem aula presencial enquanto o restante permanece na remota, com rodízio a cada dia, nunca ultrapassando os 30% do número de estudantes em sala”, explica Márcia Angelina. Para ela, é preciso bom senso em relação à volta às aulas mesmo que os professores ainda não tenham tomado a segunda dose da vacina contra a Covid. Por enquanto os alunos do ensino fundamental II e Médio das três escolas estaduais estão no sistema REAMP, via internet.

 

Já a Secretaria Municipal de Educação aguarda a avaliação do COE, que já tem em mãos o resultado da pesquisa feita com os pais dos alunos da rede municipal. Ângela Fonseca não divulgou o resultado desta pesquisa. Os professores e servidores da educação das redes pública e privada na cidade tomaram a primeira dose da vacina AstraZeneca no início de junho e a segunda dose está prevista para setembro. “Por isso precisamos de uma avaliação do COE Municipal e da Secretaria de Saúde”, diz Ângela Fonseca.

 

Em nenhum município, segundo Angela Fonseca, professores e funcionários da educação tomaram a segunda dose da vacina contra a Covid-19, com isso não estão totalmente imunizados até o início do ano letivo em agosto. Apesar de professores e funcionários da educação não terem completado o ciclo de imunização, o Governo do Estado anunciou que as aulas presenciais voltam em agosto. A decisão foi tomada três semanas após a campanha de vacinação ter chegado à categoria e marcou a retomada parcial para o dia 2 de agosto.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.